Paprika (2006) e Inception (2010)

- segunda-feira, 20 de agosto de 2012




Inception se inspirou em Paprika mais do que imaginamos.

Leia sobre estes filmes aqui no blog:

Paprika (2006)
Inception - A Origem (2010)

Minhas Impressões: Universo DC #1

- sábado, 18 de agosto de 2012
As HQs que decidi acompanhar são os títulos: Universo DC, A Sombra do Batman e Dark. Eu os escolhi porque das publicações que a Panini está lançando, são as que reúnem mais histórias dos Novos 52, e mais que isso eu vou a falência.

Irei começar pela Universo DC #1:

A (bela) capa da Universo DC #1
Contra capa (igualmente linda)
Aquaman #1:

"O Fosso"
Geoff Johns começou trabalhando muito bem esse personagem que há muito tempo é motivo de piada nas histórias em quadrinhos, ele o está deixando o mais durão possível. Nesta HQ, temos criaturas que surgiram das profundezas do oceano em busca de comida, e parece que a carne humana agradou a eles. Gostei do monstro que saiu dos lápis de Ivan Reis, e o colorista Rod Reis fez um excelente trabalho. A arte está impecável. O roteiro me animou bastante. Gostei da maneira como o Aquaman está sendo conduzindo. Acredito que dessa vez ele irá ganhar o respeito tão merecido.
Roteiro excelente, arte sensacional

O Selvagem Gavião Negro #1:

A arte de Philip Tan e cores de Sunny Gho muito lindas
"Gavião em Ascensão". Como não conheço muito das histórias do Gavião Negro, confesso que fiquei pouco animada quando lia a história. Mas a arte tem um potencial explosivo, bastante atrativa. O roteiro é razoável. Acredito que Tony S. Daniel, poderá extrair coisas boas a partir da premissa que foi apresentada.






O.M.A.C. #1: 

Este é o meu primeiro contato com O.M.A.C.. É uma boa HQ, o roteiro de Dan Diddio,é bem humorado. Enquanto a maioria dos quadrinhos possuem tons de obscuridade, em O.M.A.C. temos ataques exagerados e implacáveis. Embora o combate raramente para, a ação é sempre bem retratada e a fisiologia incomum de O.M.A.C. permanece consistente. "Conter-se" não se aplica aos quadrinhos, eles abusam de cores e textos, e isso é muito divertido.

      
Nuclear #1: 

Eu esperava um pouco mais dessa. Mas no geral é boa. Vemos uma rixa entre dois adolescentes de Ensino Médio que estão brincando com o poder da Física Nuclear. A arte está excelente e as cores também. Quanto ao roteiro, espero que evolua.







Sr. Incrível #1: 

Boa história, boa arte. Gostei de conhecer o Sr. Incrível melhor. Ele perdeu sua esposa em uma acidente, mas acho que conseguiu superar isso rápido, já que de cara já o vemos com outra pessoa. Mas também não faço ideia quanto tempo passou entre a morte da sua mulher e a história corrente. Estou mais interessada em saber sobre o mistério em torno do seu filho.




Falcões Negros #1:

Quando penso em Falcões Negros, sempre associo a um grupo de aviadores. Mas aqui se trata de um Programa criado pela ONU. A história é legal e está mais focada em tramas terroristas. A arte é bonita e o roteiro pode ser bastante explorado. Uma HQ que acabo de conhecer também.






Mulher-Maravilha #1:

Por fim, a minha preferida de todas. Roteiro incrível de Brian Azzarello e a bela arte de Cliff Chiang. Na minha opinião, a equipe que mais se destaca. Você pode ler com mais detalhes minha opinião sobre esta HQ aqui.




Não me canso de admirar a arte de Chiang:










Minha nota geral para a Universo DC #1:

Vale a pena ter na sua coleção!

X-Files

- sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Arquivo X: 
Fox Mulder (David Duchovny), Dana Scully (Gillian Anderson) 
e Chris Carter (criador da série)

X-Files: Scully & Mulder


Dana Scully (Gillian Anderson) e Fox Mulder (David Duchovny)

X-Files: Mulder & Scully


Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson)

Scully, Mulder & Homer Simpson


Matt Groening

X-Files (David Duchovny/Fox Mulder)

- quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Fox Mulder (David Duchovny)

Minhas Impressões: Justice League - Doom (Liga da Justiça: A Legião do Mal, 2012)

Uma das animações mais recentes produzidas pela Warner com o selo da DC, foi Justice League: Doom (Liga da Justiça: A Legião do Mal), e mais uma vez me impressiono com a qualidade dos longas animados da DC Comics.

Sabemos que cada super-herói tem uma falha, ou uma fraqueza, e quando o imortal Vandal Savage junta os arqui-inimigos do Superman, Batman, Mulher-maravilha, Lanterna Verde, Flash, Cyborg e do Caçador de Marte, eles encontram meios perfeitos para manter os nossos heróis fora de seus equilíbrios normais.

Neste filme Cyborg é introduzido, um personagem que ganhou mais destaque na moderna DC Comics, e foi recentemente colocado como foco central da Liga nos "Novos 52" do Universo DC. Se você não estiver familiarizado com o Cyborg, ele é muito legal e é uma adição bem-vinda nas animações.

O filme também é uma adaptação livre do arco de histórias da Liga da Justiça chamado "Torre de Babel", do ano 2000, escrita pelo aclamado roteirista de quadrinhos Mark Waid.

Cyborg

A animação foi dirigida pela veterana Lauren Montgomery (Mulher-Maravilha, Lanterna Verde: Primeiro Vôo), e quem roteirizou o filme foi Dwayne McDuffie, que infelizmente faleceu pouco depois de completar o roteiro de Doom.

Super Amigos Liga da Justiça

Para enfrentar essa lista impressionante de heróis você vai precisar de uma lista de vilões igualmente impressionante. Conheça a Legião do Mal: Vandal Savage, Bane, Cheetah, Metallo, Safira Estrela, Mestre dos Espelhos e Ma'alefa'ak (confesso que nunca tinha ouvido falar nele).

Legião do Mal

Cada um desses vilões tem uma vingança pessoal contra os nossos heróis, com exceção de Savage. Claro que ele é mau e odeia a Liga, mas sua verdadeira motivação é um mistério. É Savage que reúne os vilões com a promessa de que vai finalmente derrotar a Liga da Justiça. Eles se reúnem em um esconderijo no pântano, que justamente nos faz lembrar dos antigos desenhos animados Super Amigos. Ver todos os vilões reunidos bebendo champanhe e celebrando sua vitória sobre a Liga é tão diabolicamente divertido.

Vandal Savage

Não entrarei em detalhes, mas é de se esperar que a Liga da Justiça consiga dar a volta por cima. O filme tem um bom senso de humor e há momentos em que os membros da Liga parecem ser mais do que companheiros da Liga, eles parecem ser grandes amigos, e é muito legal ver isso sob essa perspectiva.

A animação está impecável, assim como também a dublagem original. Obviamente possui algumas diferenças com relação a história em quadrinhos que serviu de inspiração, mas isso não tira seu mérito. Mais uma animação da DC Comics que vale muito a pena assistir.

Não posso dar menos do que 5 estrelas!


X-Files

- sexta-feira, 3 de agosto de 2012

David Duchovny, Gillian Anderson e Chris Carter

Bruce Wayne/Batman


Batman: The Animated Series

X-Files


Gillian Anderson (a.k.a. Scully) e David Duchovny (a.k.a. Mulder)

Minhas Inpressões: Francesco (1989) - A História de São Francisco de Assis

- quinta-feira, 2 de agosto de 2012
Hoje assisti a um filme que foge um pouco da linha a qual estou acostumada a seguir. Assisti ao filme de produção italiana "Francesco" (lançado em 1989), que se trata de um documentário/drama a respeito da vida e morte de São Francisco de Assis.

O filme foi baseado em Francis Herman Hesse de Assis, que a diretora Liliana Cavani já havia filmado em 1966. É estrelado por Mickey Rourke e Helena Bonham Carter. A trilha sonora foi composta pelo grego Vangelis.

Confesso que conheço pouco a história de São Francisco de Assis, pois não sou uma pessoa dita "religiosa". Para não dizer que não conheço nada, lembro da famosa oração de São Francisco de Assis, que é muito bonita, e sei que ele é um dos santos mais diferentes da Igreja Católica, por causa das suas ideologias e convicções.

O Santo e fundador da Ordem Franciscana dos Frades Menores é interpretado por Mickey Rourke, e sua inspiração, a mulher que mais tarde se tornou Santa Clara (Chiara, no filme) é interpretada por Helena Bonham Carter.

Helena Bonham Carter mais à esquerda, bem novinha
 (parece que o tempo não passou pra ela, não é mesmo?)

Criado como um filho mimado de um comerciante, Francesco vai para a guerra e volta com um profundo horror da situação de miséria na sociedade, gerando conflitos e sofrimento.

Mickey Rourke
Em uma das cenas, como ato de renúncia, ele se despe de suas roupas bem na frente de seu pai e sai nu e descalço, juntando-se aos leprosos e mendigos. O filme segue com uma série de episódios da vida do santo, seguindo até seus últimos dias, quando ele recebe o sinal de Deus e tem no seu corpo as marcas e feridas semelhantes às do corpo de Jesus na crucificação (considerado um milagre para a Igreja Católica, e uma das principais razões para que ele tenha sido santificado).

Quem conhece a história do Buda, achará elementos semelhantes entre a história dos dois, principalmente considerando que ambos vieram de uma vida de riqueza e renunciaram a tudo.


Também tem uma cena em que Francesco rola nu na neve (o filme é cheio de nudez masculina, e foge dos convencionais filmes religiosos, onde os santos raramente são retratados com este espírito de liberdade e inocência sugerido). A história tradicional nos conta que Francesco rola na neve em resposta a uma sugestão do diabo para que ele pudesse se casar e ter filhos, então ele ironiza o diabo fazendo pilhas de neve para representar sua "esposa" e "filhos". Mas isso fica pouco claro pra mim no filme.


Eu me surpreendi com o desempenho comprometido e pouco ortodoxo de Rourke no papel, até mesmo porque estava acostumada a vê-lo em contextos de ação e em papéis um tanto machistas. Bem, o próprio Mickey Rourke tem episódios questionáveis na sua vida pessoal, mas não podemos fazer esse tipo de comparação, pois como ator, teve boas e memoráveis atuações. É um filme interessante.

Marcas da crucificação de Jesus surgem em Francisco

Back to Home Back to Top