Gotham Girls (S01E02, Lap Bat)

- quarta-feira, 27 de junho de 2012
Mais um mini episódio de Gotham Girls, dessa vez com a Batgirl e a Catwoman:

Gotham Girls (S01E02, Lap Bat)





Game/Episódio:


Gotham Girls (S01E01, The Vault) - O Cofre

- terça-feira, 26 de junho de 2012
Gotham Girls é uma série animada americana feita em flash sobre as super-heroínas e vilãs de Gotham City. Foi criado e produzido em conjunto pela Warner Brothers e Noodle Soup Productions, em 2002.

Nos episódios, estrelaram Harley Quinn, Poison Ivy, Batgirl, Mulher-Gato e Zatanna, em pequenas histórias de duração variável sobre o cotidiano das personagens (a partir do universo da DC Comics).

Em cada episódio, também tem um joguinho. Legendei o primeiro episódio da 1ª temporada, que você poderá ver abaixo. E mais abaixo tem a animação em flash, com o joguinho:


Gotham Girls (S01E01, The Vault) - O Cofre





Episódio/Game:

Blade Runner: 30 anos!

- segunda-feira, 25 de junho de 2012

1982, dir. Ridley Scott

Capa: Wonder Woman #10 (2012)


Por Cliff Chiang -- Perfeita!

Wonder Woman #10 - New 52

O trabalho de Brian Azzarello, com Cliff Chiang e Akins Tony em "Wonder Woman" tem sido, até agora, um dos melhores da DC Comics atualmente. A inclusão de Akins me preocupou no início, mas ele está mostrando o quanto o seu trabalho de ilustração é bom. E agora incluíram também o artista Kano nas ilustrações, mas pra mim a transição foi quase imperceptível, só soube porque li nos créditos.

Kano está fazendo um trabalho tão bom quanto ao de Chiang e Akins, linhas suaves e limpas, rostos expressivos,... Confesso que inicialmente não gostava dessa troca de desenhistas, mas pra falar a verdade isso é muito bom. É sempre bom ver o trabalho de outros artistas e a percepção que cada um possui destes personagens. De muitas maneiras, a arte de Kano é como uma fusão destes outros dois artistas, o cabelo cuidadosamente penteado, feições expressivas no rosto da Mulher-maravilha que combinam perfeitamente com ela.

Quanto à história em si, tem momentos brilhantes. Uma história em quadrinhos que começa com a Mulher-maravilha sob o poder do seu próprio laço da verdade, afirmando que ama Hades. É um momento difícil, talvez essa cena é mais difícil de se encarar do que as da sua fuga. E tudo isso graças a Brian Azzarello, que está escrevendo tudo com muita perspicácia.

A Mulher-maravilha "número 10" continua a tendência dos fortes quadrinhos, tanto na escrita, como na arte. E apesar de eu preferir o traço de Chiang, Akins e Kano estão aprovados.

Hades só queria o amor de Diana. A idéia de perder sua noiva traz à tona a criança confusa dentro de si. Ele não consegue entender como Diana pode amá-lo e deixá-lo ao mesmo tempo... Ou melhor, ele não entende como ela consegue amar a todos. 


Sua idéia de amor é dicotômica, sem espaço para redefinição. Ele deixa Diana ir embora, mas a lição de amor não foi totalmente compreendida por ele. Esta lição precisa de tempo para desenvolver e criar raízes em seu coração frio.

Provavelmente um dos melhores números do arco desta série. O suspense é aquele que nos conduz para a próxima edição. Estou extremamente curiosa pra saber o que está por vir. Uma revista notavelmente agradável de se ler.

Poster ~ Constantine (2005)


John Constantine (Keanu Reeves)

Mulher-Gato


Catwoman (Alex Ross)

Capa: Wonder Woman #9 (2012)

- sábado, 2 de junho de 2012

Wonder Woman #9 - New 52

Apesar de ser uma dos principais integrantes da Liga da Justiça da América e fazer parte da imaculada Trindade, a Mulher-maravilha muitas vezes foi inferiorizada ou minimizada nas histórias. Brian Azzarello é o mais novo escritor que tenta corrigir esta situação.

Neste número 9 da revista Wonder Woman, o artista Cliff Chiang faz muita falta. A arte na Mulher Maravilha voltou a ser feita pelos substitutos Tony Akins e Dan Green. Como já disse em outras postagens, não me passa a mesma sensação em relação aos últimos números. Espero que ele retorne logo.

Em termos de história, não houve muito progresso desde o último quadrinho da número 8 até o fim deste número. A situação da Mulher-maravilha está crítica, mas torço para que ela saia dessa com a ajuda de Hermes, Zola, Hefesto e Eros.

Quanto ao Hades, quem pode dizer o que ele quer se ele nem ao menos conhece a si mesmo? Ele afirma que é "incapaz de amar", expressa uma incerteza estranhamente vulnerável no momento seguinte, dizendo que ele é "não está inteiramente certo". Strife menciona que ele se "desapontou" com o amor, o que certamente indica que ele pode ser afetado pelo amor. Provavelmente, há muito mais do que orgulho em jogo nessa questão. A história está fascinante...

Back to Home Back to Top