Capa: Wonder Woman #7 (2012)

- sábado, 31 de março de 2012

Capa desenhada por Cliff Chiang

Capa: Wonder Woman #6 (2012)


Capa desenhada por Cliff Chiang

Capa: Wonder Woman #5 (2012)


Capa desenhada por Cliff Chiang

Capa: Wonder Woman #4 (2011)


Capa desenhada por Cliff Chiang

Capa: Wonder Woman #3 (2011)


Capa desenhada por Cliff Chiang

Capa: Wonder Woman #2 (2011)


Capa desenhada por Cliff Chiang

Capa: Wonder Woman #1 (2011)

- sexta-feira, 30 de março de 2012

Capa desenhada por Cliff Chiang

Wonder Woman #7 - New 52

- quinta-feira, 29 de março de 2012
Eu já apreciava o trabalho do desenhista Cliff Chiang, mas passei a apreciar plenamente a partir do momento que ele se fez ausente nas últimas edições da Wonder Woman.

É muito bom ver o retorno do trabalho excepcional dele. Juntos, Chiang e o escritor Brian Azzarello são uma das melhores equipes criativas dos new 52 (que nem é tão novo assim).

As amazonas de Themyscira (ou Ilha Paraíso, para os visitantes) foram apresentadas como nobres guerreiras. Mas nesta edição, Azarello nos mostra um lado predatório e cruel das irmãs da Mulher-maravilha, que deixará muitos leitores surpresos.

A HQ Wonder Woman continua sendo atraente, bem escrita e bem desenhada. Parece que o Sr. Azzarello está jogando terra em tudo o que a Mulher-maravilha acredita. Tem sempre uma história interessante na quebra e reconstrução de um personagem.

Mas me pergunto: Se esta é uma parte da cultura das Amazonas, então porque Diana não sabe nada sobre isso? Talvez Azzarello esteja sugerindo que a razão da origem de Diana, que era ter vindo ao mundo dos homem para ajudá-los, para trazê-los compaixão, é diferente da verdadeira razão por trás de tudo isso.

Sendo uma mulher leitora de quadrinhos, digo que é muito difícil encontrar boas obras estreladas por personagens femininas e eu esperava (e ainda espero) que essa equipe fantástica e criativa possa suprir essa falta.

Voltando a história dessa edição, outro deus é introduzido, Eros, filho de Afrodite. Ele guia a Mulher-maravilha e seus aliados a Hefesto, o ferreiro dos deuses, em um esforço para localizar Zola. No covil de Hefesto são feitas muitas revelações... como por exemplo, o Manazons, que são os filhos rejeitados pelas Amazonas e Hefesto acolhia como trabalhadores na fabricação de armas, considerada uma arte. Sendo assim, a Mulher-maravilha descobre mais um pedaço da história das Amazonas que ela desconhecia e tenta salvar esses Manazons das mãos de Hefesto. Mas ela acaba tendo uma surpresa um tanto inesperada: eles não querem salvação, estão felizes do jeito que estão. Eu gostei dessa reviravolta.

Também gostei da batalha com o lagarto de lava enviado por Hades. Isso mostra que ele não está para brincadeiras e vai disputar mesmo o lugar de Zeus.

Só espero que essa equipe criativa não se perca nas histórias, afinal a situação só está se complicando, mais e mais...

Hawkgirl - Bruce Timm

- quarta-feira, 14 de março de 2012

Mulher-Gavião, por Bruce Timm

Huntress - Bruce Timm

- terça-feira, 13 de março de 2012

Caçadora, por Bruce Timm

Power Girl - Bruce Timm


Poderosa, por Bruce Timm

Supergirl - Bruce Timm


Supergirl, por Bruce Timm

Black Canary - Bruce Timm


Canário Negro, por Bruce Timm

Mary Marvel - Bruce Timm


Mary Marvel, por Bruce Timm

Poison Ivy e Harley Quinn - Bruce Timm


Hera Venenosa e Arlequina, por Bruce Timm

Batgirl - Bruce Timm



Batgirl, por Bruce Timm

Ficção Científica: Minha Paixão

- segunda-feira, 12 de março de 2012
Eu amo o fato da ciência ter o poder de definir e inspirar.

Eu amo o infinito do espaço e os dilemas do tempo.

Eu acredito em viagens mais rápidas do que a velocidade da luz.

Segue-se naturalmente o fato de que eu amo ficção científica (na verdade, qualquer ficção especulativa). Não amo apenas a ciência. Gosto de ler e assistir a ficção científica. Os mundos desenhados, inventados ou reinventados, as ideias apresentadas que são frequentemente prescientes.

Por que eu amo ficção científica?

Sempre quando eu pego um livro ou coloco um filme cuja temática seja ficção científica, espero algo novo. Não será o mundo que conheço e não será o mundo que eu vi antes. Se trata de um senso de encantamento. Grandes filmes de ficção científica me fazem dizer "uau" e amo essa sensação. Não precisa ser necessariamente algo inédito, mas uma ideia, imagem ou algo maravilhoso que pode se tornar único na minha experiência.

Com a ficção científica também aprendo: você pode aprender coisas de qualquer gênero, desde MacGyver com as suas soluções e truques perfeitamente viáveis cientificamente, à Jurassic Park com clones de dinos a partir do DNA extraído de insetos preservados há milênios. Posso dizer que a minha introdução à genética, à teoria da relatividade, com seus dilemas "do espaço, do tempo e dos quanta", e diversas outras áreas e temas da ciência, vieram dos filmes.

Através da ficção científica também posso vislumbrar as diversas faces da humanidade. Como reagiríamos à descoberta de alienígenas? Como iríamos encarar o fato de existir uma civilização mais avançada do que a nossa? Aliens com diferentes sistemas de crenças? Tecnologias que nos dão oportunidades e desafios que nunca tivemos antes, ou teremos, mas não ainda?


E quantos aos efeitos especiais? Ok, eu tenho que confessar que eu amo o espetáculo de efeitos especiais em um filme de ficção científica. Ainda me lembro do frio na barriga que eu senti assistindo a abertura de Star Wars e vendo o Destroyer Imperial. sem contar a luta com os sabres de luz e o jogo de xadrez holográfico. Se ainda hoje esses filmes são capazes de encantar, em 1977, deve ter sido absolutamente incrível. George Lucas marcou a história do cinema e da ficção cientifica. Ele atirou primeiro.

 
Há uma série de gêneros em que o intelectualismo pode ser encontrado, mas para mim a ficção científica é a melhor fonte. Você começa com enigmas que lidam com vida fora do nosso planeta, mistérios da ciência, ideias abstratas, etc. A ficção científica faz pensar.


Em muitos casos os cientistas são retratados como heróis, como Spock em Star Trek, Doctor Who, Doctor Emmett "Doc" Brown,... Em outros casos, o cientista é o "vilão", como Dr. Frankenstein, Capitão Nemo, O Abomínavel Dr. Phibes, Dr. Hannibal Lecter, etc.

E quanto aos monstros assustadores? Alien me assustou de uma maneira como eu nunca tinha me assustado antes. Até hoje a cena do alien rasgando a barriga de "John Hurt" de dentro pra fora, me assombra.

E não posso esquecer da capacidade que a ficção científica tem de "criar mundos". Eu amo a construção de mundos, em que um escritor cria um ambiente todo, que parece real e que se apresenta com consistências que não são óbvias à primeira vista, mas se encaixam maravilhosamente!

Então o que me atrai à ficção científica mais do que todos os outros gêneros?

A Ciência: Correta ou derivada de um conhecimento atual, ou pelo menos crível e explicada logicamente.

O Escapismo: Esqueço dos meus problemas... Pois existe a Estrela da Morte só esperando ser destruída! Viagem no tempo? Pode me colocar na lista! Um mundo onde as mulheres imperam? Já estou lá! Salvar o planeta da total destruição? Só se for antes do almoço! Os livros são muitas vezes um meio de escapar da minha rotina diária. E a ficção científica me leva muito além do mundano.


Grandes homens: Han Solo, Jean-Luc Picard, Neo, Robert Neville...

A Imaginação: Cidades flutuantes. Viagens interestelares. Bilhões e bilhões de novos mundos. Viver para sempre. Buracos de minhoca e portais. Teletransporte. Combinação mental. Realidades alternativas. Universos paralelos... Precisa dizer mais?

A Sociedade: O que aconteceria se as pessoas perdessem a criatividade? O que aconteceria se houvesse muitos de nós? O que aconteceria se os recursos do nosso mundo acabassem? Como nos sentiriámos sobre a estrutura de classe, o racismo, o sexismo, a eugenia? Como podemos definir a vida senciente? Tudo o que nos torna humanos é explorado e desafiado na ficção científica.

O Romance: Adicione uma grande história de amor a um grande filme de ficção científica. Vivemos em um pequeno planeta perfeito com a combinação certa de luz, atmosfera, gravidade, água, campo magnético, camada de ozônio... mas o que faz nosso mundo girar? Relações humanas, é claro. O âmago da questão de encontrar parceiros.


Na sua melhor forma, a ficção científica move o meu coração e a minha mente.



É algo maravilhoso o que a ficção científica pode nos proporcionar. Ela pode inspirar nossas mentes e emoções, e de repente nos envolvemos em questões do mundo real relacionados à ciência, ética ou filosofia. Ela expande nossas mentes e nos permite ser magnânimos, com a nossa empatia.

Back to Home Back to Top